Fc Noticias » Saúde » Ameaças da vaginose bacteriana

Ameaças da vaginose bacteriana

Clique neste artigo e conheça um pouco mais sobre a vaginose bacteriana. Veja como esse transtorno se apresenta no organismo, quais são as suas possíveis complicações e formas de tratamento.

     

A vaginose bacteriana é caracterizada pelos profissionais da área da saúde como um dos transtornos mais comuns apresentados pelas mulheres – em relação a sua região íntima -, porque se trata de um problema normal do organismo.

Esse distúrbio se articula através das alterações da flora vaginal de maneira orgânica, com a diminuição dos níveis de lactobacilos e por consequência o predomínio de espécies de bactérias sobre outras, como a Gardnerella vaginalis.

Mesmo sendo uma enfermidade que necessita de tratamento específico, a vaginose bacteriana não é considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), principalmente porque suas causas são naturais, próprias do organismo.

Sintomas

Ameaças da vaginose bacteriana

As gestantes sofrem sérias ameaças quando são acometidas pela vaginose bacteriana.
(Foto: Reprodução)

Sua manifestação na maioria dos quadros é assintomática, mas pode vir a apresentar sintomas dependendo da intensidade da aglomeração das bactérias predominantes, como:

» Coceira na região íntima;
» Ardor ao urinar;
» Corrimento com cor branca, amarela ou cinza;
» Mal cheiro na região íntima (parecido com o odor de peixe podre).

Diagnóstico

O diagnóstico desse transtorno costuma ser feito por exames de prevenção, como o papanicolau. As medições do pH vaginal por esse processo é extremamente favorável para identificar doenças.

Tratamento

O método de contenção da vaginose bacteriana se dá pelo uso de medicamentos antibióticos. É importante destacar que o período de tratamento prescrito pelo médico deverá ser respeitado e que as relações íntimas durante esses dias deverão ser interrompidas.

Prevenção

Para evitar a promoção desse distúrbio, é essencial que as mulheres mantenham suas consultas ginecológicas de rotina em dias, utilizem preservativos em todas as suas relações íntimas, diminuam o número de parceiros, não efetuem duchinhas e mantenha a higienização correta do corpo.

Ameaças

Mesmo essa patologia sendo algo considerada como algo normal, é relevante que seu tratamento seja realizado precocemente, para que diversas complicações não venham a se apresentar posteriormente, ocasionando danos leves, moderados ou até mesmo graves, como:

» Recém-nascido com peso abaixo;
» Parto prematuro;
» DIP (Doença Inflamatória Pélvica);
» Maiores chances de obter uma infecção por DST, como a clamídia, gonorreia e a AIDS;
» Aborto espontâneo;
» Rompimento da bolsa amniótica;
» Infecção das membranas que formam a bolsa e o líquido amniótico e também do revestimento do útero no pós-parto.

Aviso!

As informações descritas acima servem apenas de uso para pesquisas. Para saber mais sobre essa doença, procure a orientação de um ginecologista ou outro especialista da área da saúde.

Textos Relacionados:


Quer comentar ?