Fc Noticias » Estudos » Brasil antes e depois da chegada dos portugueses

Brasil antes e depois da chegada dos portugueses

Nesse artigo você poderá ver como se deu a história do Brasil antes da chegada dos portugueses, as principais modificações que aconteceram nesse processo e quais os efeitos que isso causou ao país no mundo em que vivemos e para a população que já habitava a região.

     

Antes da chegada dos portugueses, estima-se que possuíam cerca de 100 milhões de índios dentro em todo o continente americano. No Brasil, esse número chegava a cerca de 5 milhões. Eles era divididos em tribos e em regiões. No planalto central ficavam os tapuias ou macro-jê, na parte litoral os tupi-guaranis e no Amazonas os caraíbas e aruaques.

Hoje, pode-se ver cerca de aproximadamente 400 mil índios no Brasil. A sua maioria se encontra em territórios de proteção dadas pelo governo e em suas reservas. Ao total, imagina-se que existam 120 etnias e cerca de 170 línguas entre eles. O ponto mais negativo visto hoje em relação aos índios é que após o contato demasiado com os brancos/portugueses eles foram perdendo pouco a pouco a sua identidade cultural, deixando assim um pouco dos seus valores de lado.

Brasil antes da chegada dos portugueses

A chegada dos portugueses e o primeiro contato desses povos com os índios se deu por volta do ano 1.500. Esse primeiro momento foi muito estranho para ambas as partes pela diferença em que possuíam, sendo duas culturas completamente distintas entre si, cada uma com a sua singularidade.

Os índios que aqui habitavam viviam da pesca, da caça e da agricultura, sendo os principais alimentos a mandioca, o feijão, o milho, o amendoim, a batata, entre outros. Ela era realizada de forma rudimentar, isto é, era feita com a técnica de coivara, onde a mata era derrubada e queimada para que o plantio fosse realizado. Eles domesticavam animais de pequeno porte mas ainda não tinham tido contato algum com a galinha, com o boi e com o cavalo.

Todas as tribos possuíam regras, tanto políticas, como religiosas, culturais e sociais. A maior parte do contato entre tribos diferentes se dava pelas guerras, em realização de casamentos, enterros ou para findar alianças contra inimigos em comum.

Todos sabiam fazer desde muito novos diversos objetos utilizando apenas as matérias primas disponíveis na natureza. Os índios naquela época, eram muito preocupados com o meio ambiente e ao contrário do ser humano, só retiravam da natureza o que precisavam para a sua sobrevivência e de toda a sua tribo. Os principais materiais eram o urucum, a madeira, a cerâmica e a palha.

Organização social

Ao contrário da sociedade portuguesa, os índios não se dividiam em classes sociais, todos tinham o mesmo tratamento e os mesmos direitos entre si. Toda a terra era dividida entre as tribos, somente os instrumentos de produção, caça e pesca eram individuais, onde os homens ficavam com o trabalho mais pesado e o de sustentar a família e as mulheres ficavam responsáveis por cuidar dos seus filhos, para realizar o plantio e para fazer as colheitas.

Os componentes que mais eram respeitados entre as tribos eram o Pajé o Cacique. Eles conseguem fazer rituais, evocando os deuses da natureza e os seus ancestrais para ajudar na cura de qualquer enfermidade. Além disso, eles ainda orientam e organizam as tribos.

A educação entre eles era muito interessante pois desde pequenos, os curumins (índios pequenos), observavam os passos dos índios mais velhos e os copiavam para aprender por contra própria. Somente após os 13 ou 14 anos é realizado um teste e uma cerimônia para mostrar a todos os novos garotos que entraram para a vida adulta.

Contatos com os portugueses

O primeiro contato se deu com muita estranheza de ambas as partes, porém um grande respeito entre as duas culturas. Como os portugueses começaram logo a explorar as riquezas brasileiras, tal como o pau-brasil, e eles necessitavam de mão de obra, acabaram por escravizar por vezes os índios, dando a eles em troca de seu trabalho alguns objetos, tal como chocalhos, espelhos, apitos, colares, entre outros.

Com o tempo, os portugueses queriam cada vez mais conquistar espaço no Brasil, querendo tomar assim as terras ditas indígenas. Em fator disso, utilizaram grande violência com as tribos, matando-os, trazendo doenças de outros países e proliferando entre si, etc. Isso tudo se estendeu por muitos anos e é por esse motivo que a concentração dos índios diminuiu muito no país.

Os portugueses começaram a se acharem superiores em relação aos índios e por causa disso queriam os dominar de qualquer maneira. Toda a cultura indígena era vista inferior e grosseira pelos brancos. Assim, tentaram converter as tribos ao cristianismo, para que eles aderissem os valores europeus – os indígenas acreditavam em espíritos e forças da natureza, enquanto os portugueses, nas forças de um deus desconhecido. Dessa maneira, os índios acabaram perdendo pouco a pouco a sua singularidade e identidade.

Brasil após a chegada dos portugueses

Após diversas avaliações realizadas pelo IBGE e pela Funai, o Brasil até o ano de 2010 possuía cerca de 896.917 índios, sendo eles os Ticunas, Guaranis, Potiguaras, Pataxós, Caiagangues, Terenas, Xavantes, Macuxis, Guajajaras e os Ianomâmis.

A forte urbanização, a alta tecnologia, os avanços industriais, as diferenças sociais e a desigualdade, são os pontos mais marcantes que avançam mais e mais a cada dia no país.

Textos Relacionados:


Quer comentar ?